Oct 10 – 12, 2022
Universidade Eduardo Mondlane
Africa/Maputo timezone

Apresentação e Temas

A 13ª Conferência Lusófona de Ciência Aberta (ConfOA) irá realizar-se na Universidade Eduardo Mondelane, em Maputo, nos dias 10, 11 e 12 de outubro de 2022. Dando continuidade ao êxito das edições anteriores e mantendo a parceria existente desde 2010, o evento é organizado pelos Serviço de Documentação e Bibliotecas da Universidade do Minho (USDB), pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT).

Com o tema “Ciência Aberta: Diversidade, Inclusão e Sustentabilidade”, a 13ª ConfOA pretende consolidar o alargamento do âmbito da Conferência, abrangendo as diversas dimensões da Ciência Aberta. O tema deste ano pretende também sublinhar alguns dos valores que devem estar associados à Ciência Aberta: a diversidade (reconhecendo e acolhendo vários modelos, soluções e experiências), a inclusão (garantindo que Ciência Aberta é de todos e para todos, e evitando a exclusão de áreas científicas ou regiões) e a sustentabilidade (procurando soluções e modelos eficientes, orientados a minimizar os custos e a maximizar os benefícios para toda a comunidade).

A ConfOA pretende reunir as comunidades portuguesa, brasileira, bem como dos restantes países lusófonos, que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com a Ciência Aberta em todas as suas vertentes, nomeadamente o Acesso Aberto à Informação Científica e os Dados de Investigação. A ConfOA assume-se como o espaço privilegiado para promover a partilha, discussão e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre estas temáticas, em todas as suas dimensões e perspetivas.

  • Acesso Aberto e Dados de Investigação Abertos: sistemas, políticas e práticas

    • Repositórios digitais – institucionais, temáticos, de dados de investigação ou de património cultural

    • Revistas científicas de Acesso Aberto

    • Inovação na comunicação científica para a Ciência Aberta

    • Publicação institucional em Acesso Aberto

    • Gestão de Dados de Investigação e dados FAIR

    • Definição, análise e avaliação de políticas institucionais e de financiadores

    • Modelos e padrões de metadados

    • Preservação Digital

    • Direitos de autor e Acesso Aberto

  • Ciência Aberta e outras expressões de conhecimento aberto

    • Ética, Integridade da Investigação e RRI (Responsible Research and Innovation /Investigação e Inovação Responsáveis)

    • A avaliação da investigação e dos investigadores na transição para Ciência Aberta

    • Ciência Cidadã

    • Dados governamentais abertos

    • Desenvolvimento e comunidades de software livre para a promoção do Acesso Aberto e da Ciência Aberta

    • Outras práticas de conhecimento aberto (hardware e software livre, educação aberta)

  • Gestão de informação de Ciência e Tecnologia

    • CRIS – Sistemas de Gestão de informação de Ciência e Tecnologia

    • Interoperabilidade entre sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica

    • Normas e diretrizes

    • Identificadores persistentes